Welcome to SpiceShop Theme

Sea summo mazim ex, ea errem eleifend definitionem vim. Ut nec hinc dolor possim mei ludus efficiendi ei sea summo mazim ex.

Tio Vânia de Anton Tchekhov

Tio Vânia de Anton Tchekhov

Cena: Àstrov e Helena

Helena – Eu parto. (Estende a mão para Àstrov).

Àstrov – Já?

Helena – Os cavalos esperam.

Àstrov – Adeus.

Helena – Você me prometeu que também ia embora.

Àstrov – Foi.

Helena – Hoje.

Àstrov – Não esqueci. Estou indo. (Pausa). Ficou assustada? (Pega a mão dela). É tão assustador assim?

Helena – Sim.

Àstrov – E se você ficasse?… Que tal? Amanhã na casa da floresta…

Helena – Não está tudo decidido… Se eu olho você assim sem medo é porque minha partida já está decidida… Só lhe peço uma coisa: não pense muito mal de mim. Gostaria que você conservasse respeito por mim.

Àstrov – Ih! (Um gesto de impaciência) Fique, estou pedindo. Você tem que admitir que não tem coisa alguma a fazer no mundo, absolutamente nenhum objetivo na vida, nada com que ocupar sem tempo. De modo, que mais cedo ou mais tarde, vai ceder aos impulsos dos seus sentimentos – é inevitável. Então, é melhor que isso aconteça em Karkov nem num subúrbio de Kiev, mas aqui, no seio da natureza. Pelo menos será mais poético.

Helena – Você é muito divertido… Estou aborrecida com você e, no entanto… Vou pensar em você com prazer. É um homem interessante, original… Jamais vamos nos ver de novo – então, por que esconder: fiquei muito atraída por você. E agora – um aperto de mão, como bons amigos. Não pense mal de mim.

Àstrov – (Aperta a mão dela) É, vai embora… (Sonhando.) Você parece boa e cheia de ternura e, no entanto, há alguma coisa de estranho na sua personalidade. Assim que chegou aqui com seu marido, todo nós, que estávamos trabalhando, que nos agitávamos tentando criar alguma coisa, imediatamente sentimo-nos obrigados a largar tudo pra nos ocuparmos apenas de você e da maldita gota do seu marido. Imediatamente vocês dois nos infeccionaram com o veneno da indolência. Fortemente atraído por você não faço coisa alguma há mais de um mês, não me preocupando com os doentes e suas doenças nem com os camponeses. Que se aproveitaram da minha ausência para transformar em pasto minhas plantações. Vê só? Onde vocês dois chegam, você e seu marido, chegam trazendo a destruição. Estou brincando, claro, mas que é estranho é. Estou convencido de que se vocês permanecessem aqui seria uma catástrofe. Eu na certa sairia arruinado, mas você também não sairia ilesa. Portanto… Vai embora. Finita la commedia.

Helena – (Pega um lápis na mesa e coloca-o no bolso rápido.) Vou levar como lembrança.

Àstrov – Não é estranhamente estranho? Você e eu nos conhecemos nos aproximamos e logo, por qualquer razão… ou nenhuma… nunca mais nos veremos. É tudo assim, no mundo. Já que estamos sós aqui, antes que Tio Vânia apareça com outro buquê de flores, deixe que lhe dê… de despedida… um beijo. (Pausa) Dá? (Beija-a no rosto.) Viu? Não doeu nada.

Helena – Lhe desejo toda a felicidade. (Olha em volta) Ah, bom, seja o que for… Por uma vez na vida! (Se joga nos braços dele impulsivamente, se abraçam e logo se separam.) Tenho que ir.

Àstrov – Vai logo. Não deixe os cavalos esperando.

Helena – Vem gente aí (Escutam).

Àstrov – Finita!

amarte

1 comentário até agora

Seleção de elenco para curso de teatro Amarte 2011 Publicado em5:17 pm - fev 16, 2011

[…] ou com 1 réplica. – A apresentação da cena deverá ser de no máximo 3 minutos. Textos: “Tio Vânia” (cena de Astrov e Helena) e “Trágico à Força”, ambos de Anton […]

Deixe uma resposta